quarta-feira, 29 de setembro de 2010

LINFADENITE INESPECÍFICA AGUDA

Conceito: São alterações reativas que acometem os linfonodos.

Etiologia: Agentes microbiológicos, fragmentos celulares ou materiais estranhos inseridos em feridas ou na circulação que provocam os linfonodos. Infecções virais sistêmicas e bacteremia produzem linfadenite generalizada.

Patogênese: A linfadenite aguda é vista mais comumente na região cervical, em função da drenagem microbiana de infecções dos dentes e das tonsilas, e em regiões axilares ou inguinais, secundária a infecção nas extremidades. A linfadenite aguda ocorre frequentemente em linfonodos mesentéricos que fazem a drenagem de apendicites agudas.

Alterações morfológicas:

Macroscópicas: Os linfonodos se tornam inchados, cinza-avermelhados e aumentados.

Microscópicas: Há evidências de folículos linfóides, com grandes centros germinativos contendo numerosas figuras mitóticas. Os macrófagos frequentemente contêm restos particulados de origem bacteriana ou derivados de células necróticas. Quando organismos piogênicos são a causa da reação, os centros dos folículos podem sofrer necrose; todo o linfonodo pode se transformar em uma massa supurativa. Podem ocorrer infiltrados neutrofílicos próximos aos folículos e numerosos neutrofílicos podem ser encontrados no interior dos seios linfóides, em reações menos graves. As células que revestem os seios tornam-se hipertrofiadas e cubóides, frequentemente sofrendo hiperplasia.

Alterações Funcionais: Os linfonodos com linfadenite aguda são aumentados em decorrência das infiltrações celulares e edema. Por causa da distensão da cápsula, tornam-se sensíveis ao toque; se a formação de abscessos for extensa, tornam-se flutuantes. A pele que os recobre é frequentemente avermelhada, e algumas vezes a penetração da infecção na superfície da pele produz seios de drenagem, particularmente quando os linfonodos sofreram necrose supurativa. A cura destas lesões está associada à formação de cicatrizes.

Degeneração: Presente como fator primário; Necrose/Apoptose: Presente como fator secundário; Pigmentação: Ausente; Calcificação: Ausente; Neoplasia: Ausente; Inflamação: Fator Dominante; Reparo: Presente como fator secundário; Distúrbios Hemodinâmicos: Forte presença; Alteração do Crescimento e da Diferenciação Celular: Presente como fator primário.

Postado por: Patrícia Emanuelle - Biomedicina 300.5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário