sábado, 2 de outubro de 2010

BRONQUIECTASIA



DEFINIÇÃO: É o alargamento ou distorção dos brônquios.

ETIOLOGIA: Infecções persistentes ou graves.Obstrução e infecção são as principais influências associadas à bronquiectasia.

PATOGENESE: Tosse grave e persistente com intensa expectoração.Reação febril e insuficiência respiratória resultando em dispnéia.

ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS MACROSCÓPICAS: Dilatação permanente de brônquios e bronquíolos causada pela destruição do músculo e tecido elástico, resultando em infecções necrosantes crônicas ou a ela associando-se. Afeta de modo bilateral os lobos inferiores, particularmente as passagens de ar verticais, agravando-se nos brônquios e bronquíolos mais distais. Essas dilatações podem produzir alargamentos longos tipo tubos (bronquiectasia cilíndrica)ou, algumas vezes,causar uma distenção fusiforme ou mesmo sacular (bronquiectasia sacular).

ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS MICROSCÓPICAS: Presença de intensa exsudação aguda e crônica dentro das paredes dos brônquios e bronquíolos, associada à descamação do epitélio de revestimento e a extensas áreas de ulceração necrosante. Há possibilidade de uma pseudo-estratificação das células colunares ou metaplasia escamosa do restante do epitélio.Nos casos mais crônicas pode ocorrer fibrose das paredes bronquicas e broquiolares e ainda a fibrose peribronquiolar, causando obliterações do lúmen bronquiolar. Em casos comuns de bronquiectasia a flora mista cultivada no brõnquio envolvido inclui estafilococos, estreptococos, pneumococos, organismos entéricos, bactérias anaeróbias e microaerofílicas, em crinças observa-se a presença de Haemophilus influenzae e Pseudomonas aeruginosa.

ALTERAÇÕES FUNCIONAIS: A bronquiectasia causa uma tosse grave e persistente; a expectoração de escarro de odor fétido, sendo algumas vezes tingido de sangue; dispnéia e ortopnéia ocorrem nos casos graves, ocasionalmente ocorre hemoptise, sendo potencialmente letal. Reação febril sistêmica pode ocorrer na presença de patógenos muito agressivos. Em caso de crise completa, a tosse é paroxística, sendo frequente quando o paciente se levanta pela manhã, devido a mudanças de posições que levam coleções de pus a serem drenadas pelos brônquios. A insuficiência ventilatória obstrutiva pode resultar em uma dispnéia acentuada com cianose. Complicações menos frequentes incluem: Abcessos metastáticos no cérebro, Cor pulmonale e amiloidose.

DEGENERAÇÃO: pesente-Oncose: forte presença-Apoptose: ausente-Pigmentação, Calcificação,Distúrbios hemodinâmicos, Neoplasias e Alterações do Crescimento: ausentes-Inflamação: forte presença-Reparo: presente.

POSTADO POR: ÍTALO RAFAEL BIOMEDICINA 300.5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário